DFK | Plano de Tesouraria COVID 19 – Tip # 1

Tip # 1 |23.03.2020Plano de Tesouraria COVID 19 – Tip of the Day

Será que as empresas conseguem resistir às dificuldades de tesouraria nesta travessia do deserto?

Já todos nós entendemos que o impacto da pandemia da Covid 19 na economia mundial, e em particular na economia portuguesa, vai ter implicações muito negativas a vários níveis tais como, emprego, consumo, confiança nos mercados, entre outros.

O Governo tem vindo a divulgar as medidas de apoio à economia, traduzidas por acesso a linhas de crédito, flexibilização de obrigações fiscais, simplificação do regime de lay-off , apelando aos empresários a manutenção dos postos de trabalho, tendo apontado o mês de junho como data em que o país estará a tomar medidas para relançar a economia.

No nosso país existem cerca de 400 mil empresas, das quais 1.500 são empresas de média ou grande dimensão, mas as restantes são pequenas empresas que vivem da sua tesouraria e se não receberem não têm dinheiro para pagar salários.

As empresas nestas circunstâncias merecem, no atual contexto todo o apoio, que se lhes possa permitir para que mantenham os postos de trabalho e possam ultrapassar os constrangimentos de tesouraria pelo menos nestes próximos 3 meses.

Nunca foi tão importante criar e implementar planos de contingência, o exemplo disso está a ser o teletrabalho, a adaptação de serviços consumidos no local para o takeway e os serviços de entrega, entre outros.

É fundamental que os empresários e os responsáveis pelos negócios e colaboradores sejam proativos, resilientes e adaptáveis às mudanças, porque estamos convictos de que uma ação rápida permitirá, manter a empresa e prepará-la para o relançamento após o fim da crise sanitária.

 

Defina e implemente um plano de tesouraria a 3 meses.

No contexto económico e financeiro da empresa é necessário criar e controlar um rigoroso plano de tesouraria no mínimo a 3 meses até porque lamentavelmente existe, em algumas empresas, um défice de informação financeira que permita definir, com algum rigor, os montantes do financiamento necessários nestas circunstâncias. Importa referir que nenhuma das medidas anunciadas pelo governo são concedidas a fundo perdido e por conseguinte constituem um aumento do passivo da empresa e um agravamento do rácio de solvabilidade.

Neste âmbito apresentamos de seguida algumas orientações para a elaboração do plano de tesouraria a 3 meses:

  1. Efetuar uma previsão de vendas e dos gastos diretos de vendas em baixa. A não ser que esteja num setor de retalho de produtos alimentares ou farmacêuticos, não se espera prosperidade, contudo é necessário apelar à criatividade na implementação de ações de vendas de produtos /serviços, provavelmente num formato diferente ao até aqui realizado.
  2. Fazer levantamento integral dos gastos com pessoal que se mantêm na folha de salários;
  3. Fazer levantamento integral de todos os gastos fixos que ocorrem mesmo tendo o estabelecimento encerrado;
  4. Analisar os valores a receber e criar uma estimativa prudente dos recebimentos nos próximos 3 meses de preferência, negociando diretamente com os clientes essa possibilidade;
  5. Analisar os valores a pagar aos fornecedores e criar uma estimativa de pagamento nos próximos 3 meses. Tal como nos valores a receber, também no que se refere a valores a pagar deverão ser realizadas negociações diretas;
  6. No contexto do apoio da Instituições Financeiras, aproveitar a flexibilização das amortizações de capital dos empréstimos de preferência até setembro;
  7. No que se refere aos impostos, aproveitar todas as medidas de flexibilização da Autoridade Tributária e da Segurança Social disponíveis que consistem no fracionamento dos pagamentos e respetivos diferimentos;

Com esta informação em mãos terá condições para prever o saldo de tesouraria nos próximos 3 meses.

O importante é assegurar que o maior número possível de empresas sobreviva à situação e o menor número possível de pessoas perca o emprego.

Será muito provável ter de recorrer às Linhas de Crédito Covid 19 que atualmente são duas:

  • Fundo de maneio - Utilizado para financiar o ciclo de exploração do negócio, ou seja, para manter vendas. Contudo, desde que estejam assegurados os recebimentos dos clientes.
  • Tesouraria – Para financiar os prejuízos que se esperam.

O objetivo do plano de tesouraria é quantificar as reais necessidades de financiamento no contexto do período do surto, assegurando por um lado a travessia do deserto e por outro o relançamento da atividade já no oásis.

Para que se possa inspirar, enviamos abaixo o link para uma folha de excel simples, para criar o seu plano de tesouraria Covid 19.

Clicar aqui para download.

Esperamos que este conteúdo lhe seja útil e inspirador na realização desta tarefa essencial. Contudo, como é habitual, a DFK estará à sua disposição para auxiliar, nos contactos habituais, através do seu auditor ou do seu consultor, ou pelo email geral: dfk.lisboa@dfk.com.pt (Lisboa) e dfk.faro@dfk.com.pt (Faro).